segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

~~ (má) educação ~~



Pronto, tinha que ser. Nunca fui (fomos) dado a sindicalismos e reivindicações radicais. Todavia, isto está a atingir dimensões que desafiam a inteligência de QUALQUER ser humano, por mais tacanha que seja.
É sabido que as ditaduras precisam de manter o povo na ignorância. Será isso que está por trás destas medidas ridículas? Exigir menos dos alunos é, certamente, colocar-nos no caminho certo para o entorpecimento mental. Sei que digo, muitas vezes, mal deste país, mas não posso deixar que lhe façam isto. É bárbaro. É criminoso. Sozinho, pouco posso, mas posso tentar unir vontades para chegar mais longe. Apelo a todos aqueles que ainda mantêm uma réstia de lucidez para que DIVULGUEM e SE JUNTEM à manifestação que o cartaz anuncia. Bem sei que é organizada por uma instituição sindical, mas devemos ultrapassar isso e lutar com todas as armas ao nosso dispor. Bora lá, minha gente? Os nossos Professores e as nossas crianças merecem. Até dia 8, no Dia Internacional da Mulher.

Mais informações no Movimento dos Professores Revoltados.

16 comentários:

  1. Acho que já o disse aqui uma vez, mas insisto. Tudo isto recorda-me cada vez mais a minha professora de filosofia que já há 15 anos atrás dizia que os sucessivos ministérios de educação pretendiam criar magotes de mentalidades de empregados de mesa - não pensar por si, não ter opinião, fazer apenas o que lhes é pedido.
    Com muita tristeza percebo que ela tinha razão e que a malta do ministério está a conseguir!

    ResponderEliminar
  2. Até dia 8! O meu país ainda há-de ser grande.

    ResponderEliminar
  3. Não sou professor mas estou convosco a cem por cento.
    Segundo as teorias da conspiração do PM vocês vão passar a ser comunistas :)
    Um abraço solidário.

    ResponderEliminar
  4. Eu estarei lá, ora se estarei.
    Ainda nos vamos encontrar... quem sabe.

    ResponderEliminar
  5. Estarei lá, nem que a vaca tussa!(e vou copiar o vosso post)
    Abraços rapazes

    ResponderEliminar
  6. Eu estou bem longe de Lisboa, mas estou solidária com a luta dos professores. São, apesar de tudo, uma classe das mais respeitáveis em Portugal.

    Força!

    Um abraço :)

    ResponderEliminar
  7. Special K, se isso quizer dizer que pretendo que respeitem o meu trabalho e não façam com que Professores que escolheram ser professores por vocação e que a exercem com profissionalismo, dignidade e amor desmoralizem...
    Por que não se avaliam os políticos?

    ResponderEliminar
  8. Brama, Graduated Fool e X, todos juntos não somos muitos. Até lá!

    ResponderEliminar
  9. Celeste, obrigado pelo apoio. Quando se fala das gerações futuras, isso envolve TODA a gente.

    ResponderEliminar
  10. Nem me digas nada! Se vocês sonhassem a tarde que tive... Tenho cada vez menos esperança... :( Abraços para ambos!

    ResponderEliminar
  11. Zé, acho que posso responder à tua pergunta: Não se avaliam os políticos porque todos teriam nota zero.
    Um dia alguém devia chamar os políticos à responsabilidade pelos seus erros. esquecem que as suas decisões afectam a vida das pessoas
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  12. Rato do campo, isso é que não pode ser. Há que reagir, sob pena de nos comerem os miolos um dia destes. Cá por mim, sabendo que o ataque é a melhor defesa, avanço com o pedido de um sistema de avaliação de políticos. Sugiro até alguns critérios: níveis de pobreza, taxas de desemprego, de inflação, de satisfação da população, ... Iam era fazer política prò c*#&lho!

    ResponderEliminar
  13. Special K, é como eu costumo dizer: eu até aceitava a avaliação, o congelamento da carreira e dos ordenados, o aumento de impostos, etc, se começassem por eles próprios. Atrevam-se: acabem com as reformas vitalícias dos deputados após meia dúzia de anos de serviço(?), assumam MESMO responsabilidades, trabalhem, ...

    ResponderEliminar
  14. Sempre atrasado nos comentários, mas acabo por dizer algo; Fui professor e sei o que isso representa; tenho muitos amigos professores (entre os quais vocês se incluem, claro) e sei os mil e um problemas por que estão a passar; só posso estar convosco.
    Pergunto aquilo que já perguntei num outro blog: apontem-me "um" e "um só" bom ministro da educação põs 25 Abril (para trás não conta...); se forem capazes, calo-me e digo que a culpa é "só" desta ministra...
    Abraço.

    ResponderEliminar
  15. pinguim, é como disse a nossa colega "qualquer um serve para ministro da educação". Abraço.

    ResponderEliminar

»» responderemos quando tivermos tempo
[se tivermos tempo] »» se os
comentários de algumas entradas estiverem bloqueados é porque não estamos cá, não há tempo para olhar para o lado, ou essas entradas não têm nada para comentar.

»»
obrigado pela visita!